domingo, 9 de Maio de 2010

Bela Infanta de Almeida Garrett

O romance popular e o rimance foram estudados através do texto “Bela Infanta” de Almeida Garrett. Desafiei os alunos a escrever os seus textos, baseando-se neste e num outro, muito semelhante, recolhido por Leite de Vasconcelos. O resultado foi:

Carolina, Carolina
Estava ela, pobre Carolina
Sentada no seu jardim
Segurando uma pequena flor,
Um delicado serafim,
Triste, o seu coração vivia
Seu pai falecido, sua mãe doente,
Seu amado marido,
Da guerra estava dependente.
Pois chegou um cavaleiro, perguntando:
– Que tens bela Carolina?
Carolina contou, que seu marido da guerra não voltava
O cavaleiro perguntou, por ele o que ela dava
Carolina ofereceu suas terras de gado,
O cavaleiro rejeitou.
Carolina ofereceu todas as suas jóias
O cavaleiro rejeitou-as também.
Carolina, pobre Carolina,
Em tristeza se encheu,
Chorou, lágrimas límpidas,
Perfumadas,
Até que sacrificou suas filhas,
Uma para vestir, outra para calçar,
Outra para dormir e amar,
O homem rejeitou de novo, dizendo:
– Tuas filhas eu não quero; quero-te a ti,
Sou teu marido, pois bem aqui está
A metade de mim, do anel que te ofereci.
Carolina chorou, desta vez de alegria
Jurando nunca mais deixar partir
Aquela tal companhia.
Catarina Candeias

7 comentários:

  1. O poema da Catarina ficou muito giro :)

    Beatriz Santos .

    ResponderEliminar
  2. o poema da catarina ficou muito giro e engraçado ;D

    rita lobato

    ResponderEliminar
  3. Sim realmente o poema fiocu giro , muita criatividade

    ResponderEliminar
  4. Um poema com muita criatividade.A Catarina está de parabéns =)

    ResponderEliminar
  5. O poema está muito bem feito Catarina!

    ResponderEliminar
  6. obrigada a todos (:

    catarina

    ResponderEliminar